TIMOR-LESTE

Contexto

A causa Timorense, desde há algum tempo, que tem agitado particularmente a sociedade portuguesa. A opressão e violência exercidas, durante décadas, sobre o povo de Timor-Leste, tornam difícil cruzarmos os braços e ficarmos indiferentes à sua história.

Por isso mesmo, em 2003, o G.A.S.Porto, sabendo das enormes necessidades deste povo, partiu para Dili, colaborando com o Centro Juvenil Padre António Vieira – CJPAV. Nesse ano, contactamos com o trabalho da irmã Maria de Lurdes – Mana Lu – com quem colaboramos desde então. Foi a seu pedido, e perante as necessidades sentidas no interior do país, que a missão em Timor, para além de Dili, passou a ser desenvolvida em Aileu, a partir de 2004. Ao longo dos anos também já estivemos em Tibar (2008-2009) e em Dare (2010). Nestas localidades são vários os problemas que existem, como consequência de um país em desenvolvimento, cujos Sistemas de Educação, de Saúde, de Comunicação, entre outros, não conseguem dar resposta às inúmeras carências existentes. A dificuldade de acesso a bens primários como água, saneamento e eletricidade, aliada às dificuldades de comunicação, sobretudo viária, e ao flagelo de doenças como a Tuberculose e a Malária, apresentam-se como os principais obstáculos ao desenvolvimento e à aquisição de melhores condições de vida.

Neste sentido, o G.A.S.Porto atua nas áreas  da Saúde e Educação em parceria com entidades locais – ISMAIK, Clínica do Bairo Pité e Ministérios da Educação e da Saúde.

Objetivos

O principal objetivo da intervenção nestas localidades é criar infraestruturas humanas/sociais e materiais que permitam a melhoria das condições de vida da comunidade local. Para isso, a intervenção do G.A.S.Porto foca-se em duas áreas principais:

Educação:

– Formação e capacitação de formadores;

– Ensino formal e não formal a crianças;

– Cursos de Português, Matemática, Informática e Ciências básicas a jovens e adultos.

Saúde:

– Educação para a saúde;

– Formação e capacitação de monitores de saúde;

– Prevenção, Diagnóstico e Tratamento de Tuberculose e outras doenças;

– Combate à má nutrição.

Projetos

Todos os anos são enviados entre 5 a 8 voluntários com diferentes áreas de formação para monitorizarem, no terreno, os 3 projetos que acontecem ao longo de todo o ano, com o acompanhamento direto dos parceiros locais. São eles:

– “Juntos pela educação” – Centro de Estudos;

– “Casa Aberta às crianças” – Jardim de Infância e ATL;

– “Saúde em Movimento” – Programa de Combate à Tuberculose e Combate à malnutrição.

Em 2008, o G.A.S.Porto passou a contar com a presença permanente de um voluntário na missão.

EnglishPortuguese